sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Lua azul: saiba do que se trata e como ocorre

A lua azul, vista de perto. (Fotografia de Tatianna Raquel)

O termo lua azul, se refere comumente à segunda Lua Cheia que ocorre num mesmo mês. A freqüência de acontecimento, é de 1 vez a cada 2 anos ou 3 anos. As últimas luas azuis ocorreram em 31 de maio de 2007, 31 de dezembro de 2009 e 31 de agosto de 2012. A próxima lua azul deverá ocorrer em Julho de 2015, Janeiro e Março de 2018, Outubro de 2020, Agosto de 2023, Maio de 2026, Dezembro de 2028...
O fato se dá devido ao ciclo lunar de 29.5 dias, o que torna perfeitamente possível que em um mesmo mês sua fase se apresente cheia por duas vezes. Fevereiro é o único mês que não pode ter a Lua Azul, mesmo em anos bissextos. Inclusive é possível um ano não ter Lua Cheia no mês de fevereiro, nesses anos, acontece uma Lua Cheia no final de janeiro e a outra no início de março, ou seja 2 Luas Azuis no mesmo ano, em janeiro e março. Isto ocorre em média a cada 35 anos.

A Lua Cheia acontece simultaneamente para todos os países, mas nem o horário nem a data são iguais. Por exemplo: uma noite do dia 31 de agosto na Europa já é manhã do dia 1 de setembro na Nova Zelândia. Então se acontecesse uma Lua Azul no dia 31 de agosto para um país na Europa , não seria Lua Azul no dia primeiro na Nova Zelândia, que iria ocorrer no final do mês de setembro.

De acordo com alguns historiadores, o nome Lua Azul foi criado no século XVI, devido ao fato de que algumas pessoas, ao observar a Lua, a viam azulada. Outras, no entanto, a percebiam cinza. Muitas discussões ocorreram até se concluir que era impossível a Lua ser azul. Esse fato criou uma espécie de expressão linguística, e "Lua Azul" passou a ser sinônimo de algo impossível ou difícil. O termo ganhou força principalmente nos EUA e algumas frases como "só me caso com você se a lua estiver azul" foram rapidamente popularizadas.
Foi com esse significado que o termo foi usado para designar duas luas cheias que ocorrem no mesmo mês, um evento raro.
A primeira menção a Lua Azul surge num panfleto escrito na língua inglesa que dizia:"If they say the moon is blue, we must believe that it is true". Algo como "Se eles dizem que a lua é azul, nós devemos acreditar que isso é real".
Historicamente, a lua azul era a terceira lua cheia que acontecia num quarto de ano em que houvesse quatro luas cheias. Normalmente, um quarto do ano tem 3 Luas Cheias. Sendo esses quartos de ano iniciados entre os dias 20 e 21 ou 21 e 22 de março (devido aos anos bissextos) coincidentes com a data do equinócio.
Um erro de publicação numa época mais recente (1946) fez entender que a lua azul seria a segunda lua cheia que acontecesse num mesmo mês. Mesmo depois de descoberto o erro, como é mais fácil de se entender essa definição do que a outra, mais complicada, ficou popularizada a segunda teoria.

Existem alguns registros raros onde a coloração do nosso satélite foi realmente alterada. Um desses registros remonta aos anos de 1883, quando uma violenta erupção no vulcão Krakatoa, na Ilha de Java, Indonésia, lançou ao espaço milhões de toneladas de gases e poeira, fazendo com que a Lua, quando observada próxima ao horizonte, fosse vista em tons azulados. De acordo com os relatos, isso durou aproximadamente dois anos e foi testemunhado em todo o planeta.
Em 1951, um grande incêndio nas florestas canadenses produziu o mesmo efeito que o Krakatoa, mas só pôde ser observado na América do Norte.

Fonte: Wikipédia


quarta-feira, 29 de agosto de 2012

"Amigo extraterrestre": um poema sci-fi que também faz referência a Spock!



Tá na cara que Vitas faz o papel do "amigo extraterrestre" (e o resto dos fãs de Vitas - a maioria chineses - acham que Vitas é um amigo extraterrestre). Mas esse amigo extraterrestre não é Vitas que o interpreta: na verdade o "amigo extraterrestre" não somente é um poema meio que sci-fi (escrito por Rasul Gamzatóvitch Gamzatov), mas também se refere ao vulcano Sr. Spock (vivido na série de TV Jornada nas Estrelas e nos sete longas da mesma franquia Star Trek por Leonard Nimoy e no filme Star Trek de 2009 por Zachary Quinto). E Spock É o verdadeiro amigo extraterrestre, só que do planeta Vulcano. Por isso traduzimos ao pé da letra (do russo pro inglês pro português) e fazemos uma intercalação de screenshots tiradas dos filmes da franquia Star Trek (cortesia da Trekcore) - com divisão de 5 partes - e recriamos o poema ilustrativo sobre o Sr. Spock pra trekker nenhum (e pra ninguém) botar defeito. E postamos também um vídeo da canção Amigo Extraterrestre só com imagens do vulcano Sr. Spock - do primeiro ao mais recente.
Em tempo: Vida longa e próspera!






AMIGO EXTRATERRESTRE (CANÇÃO DO AMIGO DESCONHECIDO)
(Песня о неизвестном друге, 1987)
Música: Aleksandra Nikolaiévna Pakhmutova (1929-)
Poema em avar: Rasul Gamzatóvitch Gamzatov (1923-2003)
Tradução em russo: Yunna Petróvna Moritz (1937-)

(Aqui Vitas imagina (através do poema de Rasul Gamzatov, traduzido por Yunna Moritz) o amor de mais além de outros planetas, incluindo o planeta Vulcano, onde Spock nasceu.)



I.: AMIGO DE TODOS NÓS

Помимо тех друзей, что есть вокруг,
На свете существует тайный круг
Моих друзей незримых, неизвестных…
Я тоже чей-то неизвестный друг.

In addition to those friends that are around,
There is a secret circle
Of invisible and unknown friends.
I am also someone's unknown friend.

Além desses amigos que estão por aí, 
Há um círculo secreto 
De amigos invisíveis e desconhecidos. 
Eu também sou amigo desconhecido de alguém. 



II.: INIMIGO DOS INVEJOSOS

Помимо тех врагов, что есть и так,
На свете существует сто ватаг
Моих врагов незримых, неизвестных…
Я тоже чей-то неизвестный враг.

In addition to those enemies that are like this, 
There are a hundred gangs
Of invisible and unknown enemies.
I am also someone's unknown enemy.

Além desses inimigos que são assim,
Há centenas de gangues
De inimigos invisíveis e desconhecidos.
Eu também sou inimigo desconhecido de alguém. 



III.: UM PLANETA IMAGINÁVEL

Помимо тех планет, где жизни нет,
Летит, быть может, миллионы лет
К нам дальний свет незримых, неизвестных,
Но любящих и мыслящих планет.

In addition to those planets where there's no life,
We’ll may fly millions of light years away
To those invisible and unknown
But loving and thinking planets.

Além destes planetas onde não haja vida,
Quiçá possamos voar milhões de anos-luz de distância
À esses planetas invisíveis e desconhecidos
Mas adoráveis e imagináveis. 


IV.: ACORDO DE PAZ ENTRE ESTRANGEIROS

Быть может, там не льётся в битвах кровь,
А премия даётся за любовь,
За круг друзей незримых, неизвестных,
За братство существующих миров.

Instead of pouring their blood in battles
Awards may be won for love,
For a circle of invisible unknown friends
And for a brotherhood of the existing worlds.

Ao invés de derramar seu sangue em batalhas 
Talvez prêmios possam ser ganhos pelo amor, 
Pelo círculo de amigos invisíveis e desconhecidos 
E pela irmandade dos mundos existentes. 




V.: AMIGO VULCANO (E ESTRANGEIRO) NATO

Помимо тех друзей, что есть вокруг,
Быть может, есть инопланетный круг
Моих друзей незримых, неизвестных…
Я тоже их инопланетный друг.

In addition to those friends that are around,
There may exist an extraterrestrial circle
Of invisible and unknown friends.
I am also their extraterrestrial friend.

Além desses amigos que estão por aí, 
Talvez possa existir um círculo extraterrestre 
De amigos invisíveis e desconhecidos. 
Eu também sou o amigo extraterrestre deles.










domingo, 26 de agosto de 2012

"Star Trek IV: The Voyage Home" - Fan-made videoslide (Shores of San Fra...




Música de fundo: Берега России
(Título em inglês: "Shores of Russia" - Título em português: "Costas da Rússia")
Música: A. Klevitsky        
Letra: Nikolai Denisov
Intérprete: Vitas

Letra traduzida em português:


Um velho pomar me faltando ao amanhecer
São lágrimas de orvalho caindo de ouro.
Estou voltando para minha casa
E eu não quero viver de outro jeito.

Cansado de uma terra estrangeira
Incompreensível e estranha
Estou voltando para minha casa
Como sempre, eu me sinto bem em casa

(Refrão)
E no céu da manhã nasce um novo dia
Você é meu lar, e minha terra, minha Rússia
Aonde quer que eu vá, creio eu, a medida que a Terra gira:
Rússia, você é minha terra, Rússia, tu és meu lar.

Se alguém que deixar o seu abrigo
Encontrar a felicidade em uma terra estrangeira,
Eu gostaria de mandar meus cumprimentos,
Mas eu não posso fazer meu coração se sentir desta forma.

(Repete refrão)

Frames fornecidos pela Paramount Pictures e pelo site: http://www.trekcore.com/
Edição de vídeo: Tatianna Raquel

Esse é meu primeiro videoslide que eu fiz especialmente para vocês (e pra quem gosta do filme "Jornada nas Estrelas IV: A Volta Para Casa", que é um filme americano de ficção científica lançado em 1986. É o quarto filme da franquia Star Trek. Ele completa a história iniciada em Star Trek II: The Wrath of Khan e continuada em Star Trek III: The Search for Spock. Planejando retornar a Terra para enfrentar as acusações por seus crimes, a tripulação da antiga nave estelar USS Enterprise encontra o planeta em um situação mortal devido a chegada de uma entidade alienígena que está tentando se comunicar com as extintas baleias-jubarte. A tripulação viaja até o passado da Terra para encontrar baleias que possam responder o chamado da entidade. O videoslide tem a canção "Costas da Rússia" (na voz de Vitas) como referência não somente ao terceiro programa-solo dele "Return Home", mas também o título do quarto filme do "Jornada" (a letra "Estou voltando para minha casa" se refere também ao título do mesmo filme de 1986 dirigido por Leonard Nimoy). É a primeira vez que uma canção russa que fala de sua volta pra casa e um filme estadunidense da franquia "Jornada nas Estrelas" que fala da tripulação da Enterprise que viaja até 1986 para resgatar as baleias-jubarte e trazê-las de volta para 2286 estão ligados um ao outro, porque justamente, se trata de uma referência: voltar pra casa - e os temas abordados no filme são salvar a terra da catástrofe ecológica e redescobrir o sentido da amizade. Uma conbinação perfeita de duas coisas do mesmo tema pra trekker nenhum botar defeito. Espero que gostem. Divirtam-se!

sábado, 25 de agosto de 2012

Morre Neil Armstrong, o primeiro homem a pisar na Lua


Aos 82 anos, astronauta havia sido submetido a uma cirurgia no coração

O astronauta americano Neil Armstrong, o primeiro homem a pisar na Lua, morreu aos 82 anos, conforme informou a imprensa dos Estados Unidos neste sábado. A informação foi confirmada pela família dele, em nota à imprensa divulgada em seguida. No começo deste mês, Armstrong tinha sido submetido a uma cirurgia no coração para desobstruir artérias coronárias.

"Estamos de coração partido ao dividir a notícia de que Neil Armstrong faleceu após complicações ligadas a procedimentos cardiovasculares", diz a nota da família. "Neil foi um marido, pai, avó, irmão e amigo amoroso." Ele vivia na área de Cincinnati com a mulher, Carol.

Lembrado como "um herói americano", parentes do astronauta destacaram que ele "serviu a Nação com orgulho, como piloto da Marinha, piloto de provas e astronauta". É dele a histórica frase: "É um pequeno passo para o homem e um salto gigante para a humanidade".

No Twitter, a Nasa ofereceu "seus sentimentos pela morte de Neil Armstrong, ex-piloto de testes, astronauta e primeiro homem na Lua." Como comandante da missão Apollo 11, de 20 de julho de 1969, Armstrong foi o encarregado de informar ao centro de controle de Houston (Texas) o pouso do módulo lunar (LEM) pilotado por Buzz Aldrin: "Houston, aqui a base da Tranquilidade. A águia pousou".

Fonte: Veja 


Um pequeno passo para o homem, mas um grande salto para a humanidade. (Neil Armstrong)

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Theme from Star Trek-Tatianna Raquel







Música: Alexander Courage (1919-2008)
Letra: Gene Roddenberry (1921-1991)

Beyond the rim of the starlight,
My love in wand'ring in star flight.
I know he'll find in star-clustered reaches;
Love, strange love a starwoman teaches.

I know the jorney ends never.
His star trek will go on forever.
But tell him while he wanders his starry sea,
Remember, remember me.

Artigo sobre o "Tema de Jornada nas Estrelas" no Wikipédia (em inglês):
http://en.wikipedia.org/wiki/Theme_from_Star_Trek



segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Os trekkers lógicos e o russo ilógico

Os Trekkers em plena convenção de Jornada nas Estrelas
















Havia dois trekkers estadunidenses: Kelvin McKenna (de Iowa) e Harold Stein (de Massachussets). Os dois amigos dividiam o mesmo Sr. Spock de Jornada nas Estrelas quando no comecinho de 2011 Vitas, vindo da Rússia e querendo fazer o papel de amigo E. T., acabou com a festa dos dois (Vitas estava em turnê nos EUA e Canadá pra promover a Noite Agitada) e Kelvin, ao ver Vitas presente, teve um enfarte (causado pelo tal vírus de Vitas) e desmaiou. Uma semana depois (5 de fevereiro de 2011), o estridente da voz de Vitas feriu Kelvin, e ele morreu. Harold tentou salvar Kelvin, sem conseguir. Desesperado pela morte de seu amigo Kelvin e por não lhe ter devolvido a vida, mandou Vitas embora dos States e, antes do enterro de seu amigo Kelvin, colocou o broche de ciências da Frota Estelar no corpo de Kelvin para que ele fosse sempre lembrado.
Lembrando: se o cantor russo Vitas banca o "amigo extraterrestre" que não dá bola pros trekkers, então quem admira muito Leonard Nimoy como o vulcano Sr. Spock? (Resposta: Nós, os trekkers!!)

The Hymn of First Contact (from the film "Star Trek: First Contact")


Star Trek: First Contact (no Brasil, Jornada nas Estrelas: Primeiro Contato) é o oitavo filme da franquia de ficção científica Star Trek. First Contact é o primeiro filme da franquia a não ter nenhum membro do elenco da série original de Star Trek dos anos 1960. O elenco principal é formado pelos atores da série Star Trek: The Next Generation, com a adição de Alfre Woodard, James Cromwell, Alice Krige e Neal McDonough. No filme a tripulação da USS Enterprise viaja do século XXIV para o século XXI para salvar o futuro após os Borg terem conquistado a Terra e alterado a linha do tempo.

Depois do lançamento de Star Trek Generations, em 1994, a Paramount encarregou os roteiristas Brannon Braga e Ronald D. Moore com a tarefa de desenvolver uma sequência. Braga e Moore queriam colocar os Borg na trama, enquanto o produtor Rick Berman queria uma história que envolvesse viagem no tempo. Os roteiristas combinaram as duas ideias; eles inicialmente colocaram o filme na Renascença Europeia, porém mudaram para o início do século XXI depois de temerem que a ideia da Renascença seria muito brega. Depois que dois renomados diretores terem recusado o trabalho, Jonathan Frakes foi escolido para dirigir e para se ter certeza que o trabalho seria feito por alguém que entendesse Star Trek.

O roteiro requeria a criação de novas naves estelares, incluindo uma nova USS Enterprise. O diretor de arte Herman Zimmerman e o ilustrador John Eaves colaboraram para fazer uma nave mais elegante que sua predecessora. As filmagens começaram com semanas de gravações em locações no Arizona e Califórnia antes de se mudarem para os cenários das naves dentro de estúdios. Os Borg foram redesenhados para parecerem como se estivessem sendo convertidos em seres ciborgues de dentro para fora; as novas maquiagens levavam quatro vezes mais tempo para serem aplicadas do que aquelas usadas na série de televisão. A companhia de efeitos especiais Industrial Light & Magic correu para completar os efeitos do filme em cinco meses. Técnicas tradicionais de efeitos ópticos foram complementadas com imagens geradas por computador. Jerry Goldsmith e seu filho Joel colaboraram para fazer a trilha sonora.


Jerry Goldsmith compôs a trilha sonora de First Contact, seu terceiro filme de Star Trek depois de The Motion Picture e The Final Frontier. Goldsmith compôs um tema principal que começava com o tema clássico de Alexander Courage da série original. Ao invés de compor um tema ameaçador para os Borg, Goldsmith criou um tema pastoral ligado ao esperançoso primeiro contato da humanidade. O tema utiliza um outro tema de quatro notas feito por Goldmith para a trilha de Star Trek V: The Final Frontier, que é usado em First Contact como um tema da amizadade e uma ligação temática geral.

Mais tarde, em 2001, Ken Paul criou suas letras já escritas, em seguida, desenvolvidas e gradualmente aperfeiçoadas algumas vezes desde então. Embora ele não esteja inteiramente certo de que ele deve tomar todo o crédito para eles, a cantautora Sheryl Crow tem falado de, por vezes, músicas vindas com ela completamente alienadas, jorrando em como se estivessem sendo enviadas para ela. "Foi o que rolou aqui", disse ele. Conforme diz os comentários de Ken sobre a música mais recente, The Hymn of First Contact:

Em um comentário em sua página sobre o 81º aniversário do ator Leonard Nimoy, Tatianna Raquel afirmou que ela vai completar 34 anos em julho. Então ela não é uma "Aquastell", mas é muito claro que ela é uma grande fã de Jornada nas Estrelas, e também adora trilha sonora de filmes e séries de TV da mesma franquia Star Trek Ela provavelmente tropeçou em cima de nós durante a pesquisa sobre a trilha sonora do filme Jornada nas Estrelas VIII: Primeiro Contato.

Não demorou tanto e em abril de 2012, eu (cuja minha versão em português da música de Vitas A estrela é muito popular no Brasil até hoje), regravei a versão lírica "anglófona" da partitura principal de Jerry Goldsmith, com letra de Ken Paul. A canção The Hymn of First Contact é disponível como um download digital gratuito, enquanto os papéis de parede com letras de músicas estão disponíveis no site gratuito de Ken Paul.

Espero que gostem desse meu trabalho musical mais recente!


The Hymn of First Contact (Música de Jerry Goldsmith/Letra de Ken Paul)
Intérprete: Tatianna Raquel








I. The Night of First Contact

The time comes in each planet's life, when the truth comes to light,
And touches every heart, to see it's time to start,
To build a future based on love, with some help from above;
Those always at our side, no more need to hide!
And so we gather here, courage that conquers fear,
To see that our grand dreams are finally drawing near.
Into our future we take flight, here tonight, hopes so bright,
Forever live and thrive, truly being alive!

II. The Meaning of Freedom

Some say to join the galaxy means we'll cease to be free.
Eternal tyranny, imposed externally.
What freedoms do they seek to save? Kill and maim, world depraved!
Financial engorgement, trash the home planet!
A world freed from want, fear and exploitation!
The ancient evils gone, Paradise finally won!
We'll still speak what we think and feel, without fear jackboot's heel.
Now able live and thrive, truly being alive!

III. The Quest for Truth

The quest for truth's a winding road, with no map, pothole filled.
It's journey, long and hard, can lead to broken hearts,
When old beliefs are challenged hard, despair soon plays its card.
Of no help: charlatans, disinformation.
The liars and con men, confusin' misleadin',
Serve no one but themselves, pursing power, wealth.
To find the truth we must be wise, discern fact, reject lies,
If we're to live and thrive, truly being alive.

IV. The Wisdom of the Ages

The wisdom of the ages comes down to Earth, from above.
Many different stories, most of them built on love.
Once back stories are set aside, core truths can no more hide.
Then wisdom sets the stride, for our trekkin' ride!
Shall we destroy ourselves, for sake of ancient tales?
Or focus on what's shared, a future never dared!
The galaxy awaits us now!, if only we see how,
To always live and thrive, truly being alive!

V. Affirmation & Inspiration

The time's come in our planet's life, now the truth comes to light!
Let it touch every heart, inspire us to start,
To make a future built with love, we'll have help from above,
They're always at our side, coming out of hidin'!
Tonight we've gathered here, in hope and faith, sans fear,
And see that our grand dreams, no more to wait, they're here!
Into our future we take flight, here tonight, hopes so bright,
We'll ever live and thrive -- truly being alive!


Lyrics available on this site: http://aquarius1962.org/aquarius1962/firstcontacthymn/

(Uploaded via http://www.mp32u.net/)

Baixar também no Soundcloud: http://soundcloud.com/tatianna-raquel/the-hymn-of-first-contact-from







Baixar Mp3 pelo 4shared

Baixar Mp3 pelo Mediafire





sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Frase da semana: "Uma vida de amor" (Leonard Nimoy)


Em meu coração
Está a semente de uma árvore
Que será eu

Alimentado pela compreensão
Aquecido por amigos

Amadurecido pela sabedoria
Temperado por lágrimas ...

Passam-se as estações,
A semente brota.
Os ramos jovens começam a se formar,
A alcançar novas experiências,
Novos contatos,
Para testar a sua força
No vento.
Para examinar seu tamanho e forma
Como uma criança descobre
Suas próprias mãos e pés.


                A velocidade é a glória.
                A velocidade é fama e fortuna.
                A velocidade é uma medalha de ouro.
                Velocidade é a honra.
                Velocidade é o sucesso.

               A velocidade é um ladrão.

Alguns vão se apressar na preparação.
Alguns vão lutar até o portão.
Alguns escalam pra ficar no lugar mais alto.
E ainda assim,

                  vamos todos nascer,

Tudo se moverá
no tempo
E no espaço.

               A vida vem e vai.

               Risos do passado
               Anéis através de corredores vazios.

               O tempero é doce-amargo.

À minha procura,
Vagueio
Através de uma casa de espelhos.

Eu vejo uma miríade de imagens,
Mas nenhuma delas é a minha.

Somente reflexos distorcidos
De um estranho.

Alguém que eu conheci
Mas realmente não sei.

Eu grito o meu nome,
Mas o eco oco que responde
Me diz que eu preciso esperar.

Ainda não é hora.

Eu não estou sozinho.
Há momentos em que eu acho que eu sou,
Sinto o que sou
Sozinho e perdido.
Mas, como as curvas do rio,
E o viajante à deriva
Vê o desenrolar de novas perspectivas,
Novos horizontes,
Novos marcos,
Acho uma nova comunhão
Com a curva de tempo,
Um novo sentido de
Conexão universal.


E aí ...
Certo dia, na primavera de minha vida
Surgem os botões e as flores 

Eu estou vivo

                     Estou aqui

Eu juntei a terra
Como uma associação da maré ...
Preenchida por névoa
E as ondas grandes.
Doando a mim mesmo
Ao ar e da terra,
Vivendo em paz
Com o sol e a lua.
Primo do nevoeiro e da chuva.


                   A melodia é simples

                   e as palavras são doces.

Leonard Nimoy (tradução de Tatianna Raquel)


segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Saudação vulcana: saiba o que é isso!


A saudação vulcana é um gesto de mão que consiste de uma mão levantada, palma para a frente com os dedos entreabertos entre o meio e o dedo anelar e o polegar estendido. Muitas vezes, a famosa frase: "Vida longa e próspera", é dita depois. A saudação foi criada e popularizada por Leonard Nimoy, que eternizou o vulcano Sr. Spock na série Jornada nas Estrelas: A Série Clássica no fim dos anos 60.

A saudação vulcana surgiu pela primeira vez em 1967 no primeiro episódio da segunda temporada de Jornada nas Estrelas, Tempo de Loucura (Amok Time). O famoso gesto tem uma reputação de ser difícil para algumas pessoas a fazer sem a prática ou o pré-posicionamento secreto dos dedos, e atores na série original teria tido posicionar seus dedos fora da tela com a outra mão antes de levantar sua mão em moldura. Essa reputação pode decorrer de variações da fina habilidade manualmente motora. Esta reputação é tão parodiada no filme Star Trek: First Contact, quando Zefram Cochrane, ao conhecer um Vulcano pela primeira vez na história da humanidade, é incapaz de devolver o gesto de saudação vulcana e, em vez disso dá o aperto de mão vulcana.



Na autobiografia dele, Eu não sou Spock (1975), Nimoy escreveu que ele baseou na bênção sacerdotal realizada pelos kohanim judeus com ambas as mãos, polegar a polegar nessa mesma posição, o que representa a letra hebraica Shin (ש), que tem três movimentos ascendentes semelhantes à posição do polegar e dedos na saudação. Aqui a letra Shin significa Shaddai, que significa "Todo Poderoso (Deus)". Nimoy escreveu que quando ele era criança, seu avô o levou a uma sinagoga ortodoxa. Lá ele viu a bênção realizada e ficou muito impressionado por ela. (O mesmo é citado em sua autobiografia seguinte, Eu sou Spock, de 1995.)


A bênção acompanhada que o acompanha, "Vida longa e próspera" (Dif-tor heh smusma em vulcanês como falado em Jornada nas Estrelas: O Filme), também apareceu pela primeira vez em "Amok Time", escrita por Theodore Sturgeon. A resposta menos conhecido é "Paz e vida longa." Este formato é semelhante à saudações médio-orientais comuns (Salaam alaykum em árabe e em hebraico Shalom Aleichem), significando "a paz esteja com você", e sua resposta, "você esteja com a paz". Uma variação ainda mais antiga pode ser encontrada com os antigos egípcios: a bênção do ankh wedja seneb, normalmente traduzido como "que viva, se prospere, seja saudável." A peça Romeu e Julieta de Shakespeare contém a linha, "Viva e se prospere: e adeus, bom companheiro."

Fonte: Wikipédia


Leonard Nimoy explica a origem da saudação vulcana (cortesia do Greater Talent.com) (veja no You Tube)




E também:






Eu falando da saudação vulcana criada e popularizada por Leonard Nimoy enquanto leio o trecho do livro Eu Sou Spock (1995) que fala da origem desse gesto que vem dos kohanim (sacerdotes judaicos) e cuja frase "Vida longa e prospera" eh dita depois - e que os fãs de Jornada nas Estrelas aprendem com o Sr. Nimoy - e o vulcano Sr. Spock - até hoje. (Desculpem o erro no fim do video, eu disse "arroba" em lugar de "ponto", mas tudo bem!):


quinta-feira, 9 de agosto de 2012

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Frase da semana: "Paixão pelo Mar" (Sea Fever)



PAIXÃO PELO MAR
John Masefield

Tradução livre

Preciso lançar-me aos mares novamente,
ao mar solitário e o céu,
e tudo o que peço é uma nave e uma estrela para me guiar,
e a força da roda do leme e a canção do vento e a vela branca se agitando,
e uma bruma cinza na superfície do mar e um alvorecer cinzento.

Preciso lançar-me aos mares novamente,
pois o chamado da maré é feroz
e um claro chamado que não deve ser ignorado;
e tudo o que peço é um dia com vento com as nuvens brancas passando,
e as gotículas arremessadas e a espuma soprada, e o som das gaivotas.

Preciso lançar-me aos mares novamente,
Para a vida errante, nômade, como a da da gaivota, da baleia
onde o vento é como uma faca afiada;
e tudo o que peço é a história divertida de um companheiro risonho,
e um sono tranqüilo e bons sonhos quando a longa brincadeira terminar.

SEA FEVER


I must go down to the seas again,
to the lonely sea and the sky,
and all I ask is a tall ship and a star to steer her by,
and the wheel's kick and the wind's song and the white sail's shaking,
and a grey mist on the sea's face and a grey dawn breaking.
 
I must go down to the seas again,
for the call of the running tide is a wild call
and a clear call that may not be denied;
and all I ask is a windy day with the white clouds flying,
and the flung spray and the blown spume, and the sea-gulls crying.


I must go down to the seas again,
to the vagrant gypsy life, to the gull's way and the whale's way
where the wind's like a whetted knife;
and all I ask is a merry yarn from a laughing fellow-rover,
and quiet sleep and a sweet dream when the long trick's over.


Sea Fever (Paixão pelo Mar), com música de Tom Roush




Baixar Mp3 pelo Mediafire











"Nessun Dorma" (da ópera "Turandot")






Nessun Dorma ("Ninguém durma", em italiano) é uma famosa ária do último ato da ópera Turandot criada em 1926 por Giacomo Pucinni. A ária refere a proclamação da princesa Turandot, determinando que ninguém deve dormir: todos passarão a noite tentando descobrir o nome do príncipe desconhecido, Caláf, que aceitou o desafio. Caláf canta, certo de que o esforço deles será em vão. Se ele falhar, ele será decapitado.

"Nessun Dorma" não somente foi gravado por Luciano Pavarotti (falecido em 2007), mas também por vários artistas como Andrea Boccelli, Deanna Durbin, Russell Watson, Sarah Brightman, Vitas (que criou o programa Noite Agitada a partir do trecho da ária de ópera), entre outros. A versão mais conhecida por aqui é a de soprano, cantadas pelas divas líricas como Sarah Brightman (minha "musa inspiradora" que inspirou minha voz lírica), Andrea Ryder, Katherine Jenkins, Jodi Keogan, Lucrecia Gil Tapia, Lani Misalucha, Izumi Masuda, Liriel Domiciano e, claro, eu, a divina diva da música pop "semi-lírica"! Espero que gostem da minha versão "feminina" dessa ária de ópera!





Música e texto: Giacomo Puccini
Da ópera "Turandot" (1924/1926)

Letra traduzida:

O príncipe desconhecido (Calàf):
Não deixe ninguém dormir!
Que ninguém durma!
Nem você, ó Princesa,
Em seu quarto frio, olhe as estrelas
Tremendo de amor e de esperança.

Mas meu segredo permanece guardado dentro de mim,
O meu nome ninguém saberá.
Não, não, sobre tua boca o direi
Quando a luz brilhar!

E o meu beijo quebrará
O silêncio que te faz minha.

Coro feminino:
Ninguém saberá o nome dele
E nós teremos, oh!, que morrer, morrer!

O príncipe desconhecido (Calàf):
Parta, oh noite!
Esvaneçam, estrelas!
Ao amanhecer eu vou vencer!
Eu vou vencer! Eu vou vencer!





Baixar Mp3 pelo 4shared


Baixar Mp3 pelo Mediafire

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

"Jornada nas Estrelas II: A Ira de Khan" (trailer legendado em português)



Título original: "Star Trek II: The Wrath of Khan"
Primeira exibição nos cinemas: 4 de junho de 1982
Argumento: Harve Bennett e Jack S. Sowards
Roteiro: Jack S. Sowards
Diretor: Nicholas Meyer
Produtor: Robert Sallin
Trilha sonora: James Horner
Elenco: William Shatner (Kirk), Leonard Nimoy (Spock), DeForest Kelley (Dr. McCoy), Nichelle Nichols (Uhura), Walter Koenig (Chekov), George Takei (Sulu), James Doohan (Scotty), Ricardo Montalbán (Khan), Bibi Besch (Dra. Carol Marcus), Merritt Butrick (David), Kirstie Alley (Tenente Saavik)

James T. Kirk, agora um almirante de gabinete, passa por uma crise de meia-idade e sente-se ainda pior quando tem de acompanhar a viagem inaugural de um grupo de cadetes da Frota Estelar, a bordo da Enterprise. Mas a viagem de treinamento torna-se uma missão mortalmente perigosa quando Khan reaparece após 15 anos de exílio - de de posse do torpedo Gênesis, uma arma incrivelmente poderosa, que literalmente dá a ele o poder da morte e da criação. E, claro, o filme trazia uma verdadeira bomba para os fãs: a morte de Spock, que se sacrifica para salvar a nave.

Trailer legendado em português por Marcos Caslini, com colaboração de Tatianna Raquel (tradutora).
Obrigada, Marcos, por fornecer esse vídeo com legendas em português!