domingo, 31 de março de 2013

sábado, 30 de março de 2013

Novidades no blog oficial

Abril está chegando (depois daquele domingo de Páscoa) e você está aí, prontinho, sem lugar pra ir??? Você precisa dar uma conferida nesta aqui antes! Os Contos e Temas Livres da minha autoria ainda estão em andamento (tanto o texto quanto o audiolivro que estou postando no meu blog especialmente pra vocês) e também as minhas crônicas que estou postando pra vocês (e também sua família e amigos). Ainda assim, fique ligado: mais contos e temas-livres vêm aí no meu blog - incluindo meu conto "Milagre na Rua Mário Carpenter" (o primeiro a incluir videotrechos suplementares, cada um intercalado entre um lance e outro pra você conferir) que eu vou postar na próxima postagem - e crônicas mais legais (algumas fictícias, outras baseadas em fatos reais, outras nem tanto e assim sucessivamente) a serem postadas e lidas pelos seguidores e internautas.
Não deixe de conferir esses e outros lances sobre contos e temas-livres, crônicas, músicas e muito mais neste blog!
Atenciosamente,
Tatianna Raquel




terça-feira, 26 de março de 2013

Aniversariante de hoje: Leonard Nimoy

Como já falei na postagem anterior, o ator, diretor, escritor e fotógrafo estadunidense Leonard Nimoy (o vulcano Sr. Spock de Jornada nas Estrelas: A Série Clássica e outros sete filmes da franquia Star Trek) completa 82 anos hoje. Feliz Níver!
 
O milagre é: quanto mais a gente compartilha, mais a gente tem. (Leonard Nimoy)
 
 


quarta-feira, 20 de março de 2013

segunda-feira, 18 de março de 2013

Star Trek '79 e Star Trek 2009: tem comparação sim!

Enquanto espera o mais recente filme, Além da Escuridão: Star Trek (Star Trek: Into Darkness, 2013) - que vai estrear no dia 17 de maio nos cinemas (e no Brasil, 14 de junho) - e que promete ser um maior sucesso e tanto - , decidi fazer uma comparação de cenas e diálogos do primeiro e do 11º filmes da mesma franquia Star Trek (a qual o seriado Jornada nas Estrelas: A Série Clássica deu origem a partir do fim dos anos 60). Quem foi que disse que o filme "não tem comparação" ao outro? Tem sim; é só prestar atenção nos filmes baseados na série de tevê que Gene Roddenberry criou!





 

JORNADA NAS ESTRELAS: O FILME

(Star Trek: The Motion Picture, 1979)

Duração: 2h e 12min (versão original exibida nos cinemas nos anos 70); 2h e 22min (versão estendida)

Diretor: Robert Wise

Elenco: William Shatner (Kirk), Leonard Nimoy (Spock), DeForest Kelley (Dr. Leonard "Magro" McCoy)

Estreia nos EUA: 7 de dezembro de 1979

Estreia no Brasil: 17 de abril de 1980




 

Todo o elenco da Série Clássica, depois de dez anos de ausência - e de espera -, estava de volta para este primeiro filme para cinema (e o primeiro da série), para a alegria dos fãs do seriado Star Trek: TOS. Desta vez a história se passa dois anos e 5 meses depois dos eventos da Série Clássica (2271), quando uma sonda chamada V'Ger (posteriormente revelado como Voyager 6, lançada no espaço em 1999, três séculos antes) está em busca de seu criador. A Enterprise é a única esperança de salvação para destruir o intruso… e salvar a Terra.

Algumas cenas a comparar:
 

- T'Sar, mestra vulcana, faz um elo mental com Spock, que mais tarde é reprovado durante o Kolinahr ("Tu não alcançaste o Kolinahr", diz T'Sar). Depois que T'Sar diz que "ele não irá alcançar seu objetivo conosco pois a resposta está noutro lugar", ela entretanto lhe deseja "Vida longa e próspera", e os Mestres Vulcanos saem.
 

- O escritório flutuante, situada em órbita da Terra (conforme vimos no primeiro filme), é a base orbital da Frota Estelar. Ele aparece pela segunda vez no filme seguinte, Jornada II, depois não apareceria mais em nenhum outro filme da franquia.
 

- A Enterprise é vista nos olhos do agora Almirante Kirk, que a observa na doca seca (drydock) do casulo de viagem. A sequência da Enterprise é a mais longa da história: 6 minutos aproximadamente.


- O hangar de casulos de viagem em lugar de naves auxiliares é mostrado nos mínimos detalhes.



- A sequência da dobra espacial que nós vemos no decorrer do filme é bem diferente da de 2009: demora mais que um minuto por quadro.




 


- Na cena "permissão para vir a bordo", Spock entra no hangar da nave e em seguida até a ponte.



- Na cena da caminhada espacial vimos Spock em seu traje espacial voando pela base de dados de V'Ger até tentar fazer um fracassado elo mental com a energia especial de Ilia. (Spock é levado depois por Kirk á enfermaria, onde ele se recupera.)




 


- Decker e Ilia se fundem, transformando-se numa forma vital superior que destroi a V'Ger e salva tanto a Enterprise quanto nosso planeta.



 




 

- O filme termina com Kirk respondendo: "Vamos pra lá. […] Vamos por ali!" A Enterprise é de novo vista antes que vejamos a nave entrar em dobra.
 
Tem mais…

- Jerry Goldsmith (1929-2004) compôs a trilha sonora do filme (a associação de Jerry com Star Trek durou até 2002). A música-tema é o "Tema de Star Trek: The Motion Picture" que mais tarde acabou se tornando a música de abertura de Jornada nas Estrelas: A Nova Geração (muito conhecida até hoje), a partir de 1987.

- Apesar da falta de cenas de ação e muitos efeitos visuais mais lentos, o filme arrecadou US$ 139 milhões.

- Existe também uma versão estendida e remasterizada do filme, lançado em DVD em 2001. O filme tem cenas adicionais e duram mais ou menos 2 horas e 22 minutos (10 minutos a mais que a versão original).

Trailer do filme de 1979




 

STAR TREK

(Star Trek, 2009)

Duração: 2h e 6min

Diretor: J. J. Abrams

Elenco: Chris Pine (Kirk), Zachary Quinto (Spock), Leonard Nimoy (Spock Primordial), Karl Urban (Dr. "Magro" McCoy), Zoë Saldaña (Uhura)

Estreia nos EUA: 6 de abril de 2009

Estreia no Brasil: 8 de maio de 2009




 

O futuro começa com Star Trek, o turbinado sucesso de J. J. Abrams que arrebatou o público - e trouxe o elenco (quase) inteiramente novo. Há mais de quatro décadas, ficou decidido que seria preciso escrever para telessérie ou filme um enredo até então nunca contado: a história de como Kirk, Spock e Magro se conheceram na Academia da Frota Estelar. Demorou 40 anos para acontecer, mas quando Star Trek estava em produção, foi cumprido o desejo de longo prazo! A história abrange de 2233 a 2258, e quando o romulano Nero vem do futuro para se vingar da Federação, Kirk e Spock precisam trabalhar juntos para impedi-lo de destruir tudo o que conhecem. Depois que Nero é derrotado, Kirk é recém-promovido a Capitão e ele passa a comandar a Enterprise.

Algumas cenas comparadas ao filme anterior:

- A Federação Unida de Planetas, situada em órbita da Terra, é quase idêntica a Base Orbital, vista no filme de 1979.
 

- A Enterprise é vista nos olhos do então Cadete Kirk, que a observa da nave auxiliar. Não há nenhum "drydock" sequer no decorrer da cena do filme.


- É mostrado o hangar da nave auxiliar (partes externa e interna) pela primeira vez depois de 30 anos.



 



- A sequência da dobra espacial que nós vemos no decorrer do filme é bem diferente da de 1979: dura um milésimo de segundo por quadro (mais veloz que a anterior).



 


- Na cena do salto com para-quedas vimos Kirk, Sulu e Olson pularem rumo á perfuratriz romulana a ser desativada por Kirk e Sulu em pleno céu de Vulcano (menos Olson, que morreu queimado pela perfuratriz).



 


- Pela primeira vez neste filme, vimos o Spock Primordial fazendo um elo mental com o jovem Kirk e a sequência do elo mental, algo nunca antes visto nas séries e filmes da mesma franquia.



 




 

- Antes de Kirk e Scotty se teletransportarem para a nave, Spock Primordial acena a saudação vulcana ("Vida longa e próspera.").





- A Enterprise é quase pega pelo buraco negro artificial, mas depois de disparar bombas ela consegue fugir e o buraco negro artificial que destruiu a Narada é totalmente destruído.


- Na cena "permissão para vir a bordo", Spock pede permissão e a resposta de Kirk é: "Permissão concedida."






 

- O filme termina com a Enterprise pronta a entrar em dobra, enquanto ouvimos Leonard Nimoy narrar a versão revisada do monólogo "Onde ninguém jamais esteve" (bem diferente do que seu amigo William Shatner narra o mesmo monólogo de abertura "Onde nenhum homem jamais esteve" que abre cada episódio da série Jornada nas Estrelas: A Série Clássica).

Tem mais...



 

- Pela primeira vez desde 1991, Leonard Nimoy, que voltou da aposentadoria, fez o papel de Spock Primordial (bem mais velho) neste filme - para o alívio dos roteiristas, que confessaram ter escrito a história de uma forma totalmente dependente da presença do ator. Os fãs ficaram felizes em saber que o vulcano Sr. Spock (o personagem vivido por Leonard Nimoy) estava de volta a ativa em seu novo filme. É o único dos atores da Série Clássica a interpretá-lo.
 
- É o primeiro filme desde Jornada nas Estrelas: Novas Gerações em que a trilha sonora não foi composta por Jerry Goldsmith, que faleceu em 2004. Quem compôs a trilha sonora do filme foi Michael Giacchino (o compositor que ganhou o Oscar). Ele criou uma nova versão do "Tema de Jornada nas Estrelas" de Alexander Courage (inesquecível!) na partitura, junto com os novos temas criados para o filme. O tema original fez um retorno aos créditos finais. A trilha do filme Star Trek é executada por músicos da base, uma orquestra de 107 músicos e um coral de 40 pessoas!

- Por causa das cenas de ação, efeitos especiais e tudo, o filme arrecadou no mundo todo o total de US$ 385.680,447 (maior do que os filmes anteriores!).

- O filme foi indicado a quatro Academy Awards, ganhando por Melhor Realização de Maquiagem. É o primeiro e único filme a ganhar um Oscar.

Trailer do filme de 2009
 


P.S.: Se gostaram do que leram sobre essa comparação entre dois filmes, por gentileza deixe seu comentário. Lembre-se: comentários são sempre bem vindos aqui!